Fundadores - Edson Gonçalves Prata


Edson Gonçalves Prata - Cadeira 27

Biografia

Edson Gonçalves Prata nasceu em 1927, em Conceição das Alagoas, MG.
Filho de Ranulfo Gonçalves Prata e Marieta de Sene Prata.
Aos cinco anos de idade, após a morte do pai, veio para Uberaba com a mãe e os irmãos para estudar.
Nos primeiros anos residindo na cidade, Edson Prata trabalhou como entregador da Farmácia Santa Teresinha, cujo salário era indispensável ao sustento da família. Anos mais tarde, deixou o setor de entregas para tornar-se caixa da farmácia. Incentivado pelo patrão, fez o curso técnico na Escola de Comércio José Bonifácio, onde se formou técnico em contabilidade. Com o diploma em mãos, conseguiu emprego de bancário, no extinto Banco do Triângulo Mineiro.
Mais tarde, tendo sido aprovado em primeiro lugar em concurso público em nível nacional, ingressou no Banco do Brasil.
Graduou-se em Direito, na primeira turma da recém-implanta-da Faculdade de Direito do Triângulo Mineiro, escola esta que foi um dos sustentáculos da Universidade de Uberaba.
Foi professor universitário nesta Escola de Direito, na Universidade Federal do Triângulo Mineiro e na Faculdades Integradas Santo Tomás de Aquino, advogado militante, membro efetivo do Instituto dos Advogados de Minas Gerais. Fundador e redator da Revista Brasileira de Direito Processual Edson Prata atuou igualmente como colaborador em diversas obras jurídicas, dentre as quais o Digesto de Processo, marco nas letras jurídicas brasileiras, e várias obras estrangeiras, em especial de língua espanhola e italiana.
Na área empresarial, Edson Prata foi responsável direto pela fundação do Jornal da Manhã, em 1972 diário que sucedeu o extinto "Correio Católico", o mais antigo jornal uberabense em atividade naquela época. Foi presidente deste Jornal até 1990.
Na década de 1970 Edson Prata fundou a Editora Vitória Ltda., em Uberaba, objetivando editar as revistas e livros jurídicos de sua autoria e de autoria de vários outros juristas de projeção nacional.
Ocupou a cadeira nº 8 da Academia Brasileira de Direito Processual Civil, da qual é patrono.
Foi também fundador e primeiro presidente do Instituto dos Advogados de Minas Gerais e membro-fundador da Academia de Letras do Triângulo Mineiro, onde ocupou a Cadeira nº 27.
Foi contista, jornalista e conferencista, crítico literário e, autêntico homem de letras, que se destacou pela pureza de estilo, pela beleza de imagens, pelas admiráveis descrições e pela segurança das análises psicológicas. O seu livro Contos Miúdos revela as qualidades de prosador.
Foi casado por mais de quatro décadas com Aparecida Damas de Oliveira Prata.
Faleceu em 16 de setembro de 1990.


Obras publicadas (entre outras):
Contos Miúdos
Estórias de Gente Mineira
Machado de Assis: o Homem e a Obra
Jurisdição Voluntária
Repertório de Jurisprudência do Código de Processo Civi
História do Processo Civil e sua Projeção no Direito Moderno
Petição Inicial e Seus Requisitos
Comentários ao Código de Processo Civil
Estudos de Direito Processual Civil
Desquite Amigável
Direito Processual Civil
Embargos de Terceiros



Bibliografia

Paolinelli, Sônia Maria Rezende. Coletânea Biográfica de Escritores Uberabenses. Uberaba (MG): Sociedade Amigos da Biblioteca Pública Municipal “Bernardo Guimarães”, 2009. 73 p


Voltar


© Copyright 2010/2011 - Academia de Letras do Triângulo Mineiro. Todos os direitos reservados.